Carboxiterapia Facial

Carboxiterapia Facial

A carboxiterapia facial é um dos tratamentos mais eficientes no combate a rugas, olheiras, flacidez e cicatrizes de acne, capaz de estimular a formação de colágeno e novas fibras elásticas, revitalizando a pele de maneira natural e proporcionando a conquista de uma aparência mais bela.

Como funciona?

A base da carboxiterapia facial é o gás carbônico (CO2), um gás atóxico, que não causa embolia e que está naturalmente presente no corpo humano como um intermediário do metabolismo celular.

Na carboxiterapia facial, o gás carbônico é aplicado diretamente na área do rosto a ser tratada. Para isso, o profissional utiliza uma agulha fina, de 13x30mm de diâmetro, e a aplicação é realizada com técnicas específicas, de acordo com a área e os objetivos do tratamento.

Em contato com o tecido subcutâneo, o gás carbônico possui efeito vasodilatador, estimulando a circulação sanguínea e a oxigenação desses tecidos, aumentando a produção de novas células. Por consequência, esta ação estimula também o aumento da produção de colágeno e elastina da região.

Os benefícios

Os benefícios alcançados pela carboxiterapia facial são: aumento da luminosidade e elasticidade da pele; diminuição da flacidez e das olheiras, tunelização de cicatrizes de acne .

Os resultados

Após a primeira aplicação já é possível perceber uma melhora na pele devido ao aumento da circulação sanguínea e à oxigenação dos tecidos.

Porém, os melhores resultados são notados a partir da terceira à quinta sessão, quando a produção de colágeno e de novas fibras elásticas está próxima do nível máximo, e já é possível observar a pele menos ressecada, com mais elasticidade e luminosidade, proporcionando uma aparência mais jovem e saudável.

Skinbooster

Skinbooster  é um procedimento estético injetável que por meio do ácido hialurônico, hidrata profundamente a pele e traz resultados muito superiores aos de dermocosméticos, já que atua nas camadas mais profundas da pele.

Para que serve o Skinbooster 

O Skinbooster  é indicado para homens e mulheres com todos os tipos de pele, das mais jovens às mais maduras, que desejam hidratar profundamente a pele e que buscam por rejuvenescimento. O procedimento trata rugas finas do rosto, melhora o aspecto das olheiras e das marchas de acne.

Benefícios do Skinbooster

Além de hidratar a pele de dentro para fora e de tratar os sinais da idade, o Skinbooster  tem um efeito preventivo. Para alguns pode parecer exagero aplicá-lo em pessoas jovens, mas não é. Dentre os principais benefícios para o rosto e o corpo estão a melhora da elasticidade e firmeza da pele e o estímulo da produção de colágeno.

Skinbooster® (1 ml) - Clinica Avivah

O que é ácido hialurônico

Ácido Hialurônico é uma molécula de açúcar que atrai e retém a água ao seu redor.

Possui diversas formas de apresentação e, quando injetada na pele, tem como resultado o tratamento daqueles sulcos marcados, além de aumentar o volume de áreas perdidas com o tempo como a região malar e os lábios.

Além disso, pode ser usado também como hidratação profunda da pele, dando mais viço e luminosidade. Esse procedimento, principalmente quando combinado com outros, por exemplo a Toxina botulínica , potencializa qualquer tratamento de rejuvenescimento facial.

Para mais informações ligue e agende sua avaliação (98) 98881-8459

Radiofrequência Facial

Radiofrequência Facial

O tratamento de radiofrequência é a principal referência quando se fala de flacidez facial e rugas, a sua eficácia revela uma melhoria da qualidade da pele e da densificação das fibras de elastina e colagénioA radiofrequência de face é ainda bastante eficaz no combate ao envelhecimento cutâneo e linhas de expressão.

Este tratamento inovador funciona através de energia electromagnética o que promove um aquecimento da segunda camada da pele, a derme.
Este aumento de temperatura ativa a microcirculação oxigenando e nutrindo todas as camadas da pele, estimulando a atividade dos fibroblastos e aumentando a produção de fibras de elastina e colagénio.
Embora os resultados da radiofrequência para tratar a flacidez e rugas sejam progressivos, é possível visionar grandes melhorias logo após o primeiro tratamento.

No fundo, a ideia é aumentar a qualidade da pele através da estimulação dos fibroblastos pela ação do calor, com recurso a um tratamento não invasivo e que produz resultados progressivos.
Os resultados do tratamento vão depender do grau de flacidez e na capacidade da pele em se regenerar, no entanto, é importante a repetição do procedimento para manter os seus benefícios.

O procedimento de radiofrequência de face permite melhorar a firmeza do rosto, linhas de expressão e a qualidade da pele. O processo é bastante simples e indolor. Em primeiro lugar, é espalhado um gel condutor ou um creme de bom deslizamento pela área onde o tratamento irá ser aplicado. Seguidamente, o profissional irá aplicar o aparelho de radiofrequência na pele, através de suaves movimentos circulares e com verificação constante da temperatura. A pele vai aquecendo e os fibroblastos vão reagir produzindo fibras de colagénio e elastinas mais densas e de maior elasticidade. A pele torna-se mais suave, firme e consistente ao toque. O rosto readquire contornos mais firmes. Com recurso à radiofrequência de face, as rugas de expressão podem ser eliminadas logo nas primeiras sessões.

O número de sessões de radiofrequência depende dos objetivos da(o) cliente, no entanto, é aconselhável fazer no mínimo 8 sessões para ter resultados de excelência.

Microagulhamento

Microagulhamento

 

É uma técnica que utiliza um aparelho chamado Dermaroller, este aparelho é constituído de microagulhas que variam em 0,2 a 2mm e pode ter cerca de 200 agulhas em forma de rolo que facilita a aplicação na pele.

O microagulhamento ou a indução percutânea de colágeno (IPCA) tem atraído muito a atenção das pessoas que apostam em tratamentos clínicos ou estéticos para cuidar da beleza da pele, pois pode tratar diversos aspectos da pele, especialmente facial.

Luceli Brito, Fisioterapeuta Dermatofuncional, explica que o tratamento é realizado através de aparelho composto por pequenas agulhas que causam microperfurações na pele. “Estas microperfurações são responsáveis pela indução de um processo inflamatório no local, capaz de estimular os fibroblastos, que são células responsáveis pela produção de colágeno local”, diz.

“Além disso, através das pequenas perfurações causadas, é possível a redução da pigmentação de manchas, especialmente do melasma. Estudos recentes mostram melhora considerável em manchas de melasma resistentes a outros tratamentos”, acrescenta a fisioterapeuta.

Luceli Brito, ressalta que o microagulhamento tem como principal objetivo a indução percutânea de colágeno, a angiogenese (criação de vasos sanguíneos novos) e um aumento da vasodilatação, fazendo com que haja uma melhora de oxigenação e nutrição nos tecidos.

Ela explica ainda que as indicações do tratamento são diversas, mas as principais são:

  • Redução do melasma;
  • Redução de cicatrizes de acne;
  • Redução de rugas;
  • Redução/melhora de estrias;
  • Melhora de poros e textura da pele;
  • Redução de cicatrizes traumáticas e/ou cirúrgicas.

Luceli Brito reforça que o microagulhamento pode ser indicado para rejuvenescimento facial, tratamento de estrias, manchas, além de alopecia e flacidez.

Vale ressaltar que o microagulhamento pode ser utilizado tanto no rosto, como em outras partes do corpo, inclusive no couro cabeludo, para estimular a circulação sanguínea da região.

Como é feito o microagulhamento?

 

Luceli Brito explica que primeiramente é feita uma higienização, assepsia e esfoliação da pele. “Depois, escolhemos a agulha a ser utilizada de acordo com o tratamento proposto. O Dermaroller é passado na pele nas quatro direções (vertical, horizontal, diagonal direita e esquerda), até que cause na pele no mínimo uma hiperemia local. Durante o microagulhamento, utilizamos um cosmético apropriado para o tipo de pele e tratamento”, diz.

A Fisioterapeuta Luceli Brito destaca que, no caso específico de tratamento para o rosto, após a antissepsia da pele e aplicação de creme anestésico, é feita a aplicação da IPCA em várias passadas em toda a face. “De acordo com a necessidade, são utilizadas agulhas de diferentes tamanhos: para lesões superficiais, agulhas menores; para lesões profundas como cicatrizes, agulhas mais longas”, explica.

“Após o procedimento, há inchaço de leve a moderado, e vermelhidão na pele que varia de acordo com a intensidade da aplicação. A recuperação costuma ser mais rápida em comparação ao laser”, acrescenta a fisioterapeuta.

Luceli Brito exemplifica que existem três tipos de melasma: o epidérmico (mais superficial), o dérmico (mais profundo) e o misto (nas duas camadas). “Para cada um, devem ser usadas ativos e concentrações específicas. Se o tratamento não estiver correto, ele pode causar a irritação e piorar a lesão”, alerta.

Vale reforçar que, por se tratar de procedimento invasivo, o microagulhamento ou IPCA deve ser realizado por um profissional habilitado para isso, a fim de garantir a correta avaliação de indicações e contraindicações, além de prevenção e complicações.

Assim, o microagulhamento deve ser feito preferencialmente por médicos dermatologistas, ou ainda, cirurgiões plásticos especializados na técnica. Fisioterapeutas dermatofuncionais com especialização na técnica também podem realizá-la.

Microagulhamento dói?

 

Dor é sempre relativa. Mas, de forma geral, Luceli Brito diz que, no caso de agulhas com comprimento de 0,2 a 0,3, a dor é bem tolerável. “Para agulhas acima de 0,5, pacientes relatam dor”, diz.

Luceli Brito ressalta que, se houver a aplicação de pomada anestésica de alta potência ou anestesia local injetável, o microagulhamento torna-se um procedimento muito tolerado, mesmo quando feito de forma mais intensa. “Importante enfatizar que somente médicos têm autorização para aplicação de pomada anestésica de alta potência ou anestesia local injetável”, diz.

Resultados: o que esperar do microagulhamento

 

A fisioterapeuta Luceli Brito explica que geralmente são indicadas de uma a três sessões, a depender da severidade do quadro e da indicação.

“O pós da IPCA é geralmente tranquilo, com mínimo desconforto. A redução das manchas e a melhora da qualidade da pele são vistas nos primeiros 15 dias. O auge da produção de colágeno induzida pela IPCA é em torno de 3 meses, quando vemos a melhora de rugas, cicatrizes e estrias”, explica a fisioterapeuta.

A fisioterapeuta Luceli Brito explica que, geralmente, pode-se observar que, após o microagulhamento, por até oito meses ainda existe a produção de colágeno.

Geralmente, o tempo de intervalo entre uma sessão e outra vai depender da intensidade da indução de colágeno, que pode variar entre uma semana a 20 dias. Cada sessão dura cerca de 40 minutos a 1 hora. Mas tudo isso pode variar de acordo com o tipo de tratamento.

Cuidados antes e depois do microagulhamento

De acordo com Luceli Brito, os principais cuidados antes do procedimento são:

  • Deve ser realizada uma avaliação para indicar o melhor tratamento a ser feito com o microagulhamento;
  • É indicado que a paciente suspenda pelo menos três dias antes o uso de qualquer tipo de ácido que esteja usando para evitar possíveis quadros alérgicos;
  • É necessário realizar uma boa limpeza de pele;
  • É indicado ainda ingerir vitamina C, pois ela auxilia na produção de colágeno.

Depois do procedimento, as orientações básicas são:

  • Não utilizar protetor solar e maquiagem por pelo menos 12hs;
  • Não se expor ao sol durante o processo inflamatório (três a cinco dias após);
  • Evitar contato com animais e mãos sujas na região tratada, prevenindo assim o risco de contaminação;
  • Utilizar produtos com autorização do profissional que realizou o tratamento, para melhores resultados.

Riscos e contraindicações do microagulhamento

Luceli Brito destaca que as contraindicações são:

  • Infecção ativa como herpes no local ou outra infecção;
  • Tendência à cicatrização com quelóides;
  • Gestação;
  • Imunossupressão.

A fisioterapeuta dermatofuncional Luceli Brito ressalta que grávidas não podem realizar o procedimento pois o risco de hiperpigmentação é muito grande devido às alterações hormonais.

Ainda de acordo com a fisioterapeuta, a técnica é segura, pois, ao perfurar a pele, mantém-se a epiderme íntegra e, com isso, os riscos de alguma complicação são baixas.

A fisioterapeuta Luceli Bito explica que os efeitos colaterais podem surgir se houver aplicação ou indicação incorreta. “Pode levar à formação de cicatrizes e manchas no local do tratamento. Os cuidados no pós-procedimento por parte do paciente, como através do uso do filtro e prevenção a exposição solar, também auxiliam na prevenção de manchas pós-procedimento”, ressalta.

A fisioterapeuta destaca que, associada ao microagulhamento, deve-se utilizar entre as sessões cremes antirrugas e clareadores para melhorar e manutenção dos resultados. “Para pacientes com manchas, as sessões podem ser alternadas com peelings químicos. Para cicatrizes e rugas profundas, na mesma sessão pode ser aplicada a técnica de tunelização dérmica, que faz um descolamento da lesão e maior produção de colágeno local”, diz.

Para garantir maior sucesso no tratamento e nos cuidados gerais com a beleza da pele, o microagulhamento deve ainda ser associado com uma alimentação rica em proteínas (que ajudam a estimular a formação de colágeno na pele), com a proteção solar diária (usando protetor com FPS acima de 30) e com o consumo adequado de líquidos (especialmente água). Quem fuma deve se esforçar ao máximo para parar, pois este é um hábito totalmente destrutivo para a beleza e a saúde de uma forma geral.

Peeling de Diamante

Peeling de Diamante

O que é peeling de diamante?

É um procedimento que possui o intuito de renovar células, devolver a elasticidade, clarear manchas e amenizar as rugas.

Muito menos agressivo que alguns peelings químicos, o peeling de diamante consiste em uma microdermoabrasão superficial  na qual se utiliza a ponteira de um aparelho para promover a esfoliação. Esta pode ser mais ou menos intensa dependo da finalidade e do local tratado.

Para que os resultados sejam evidentes é preciso realizar um certo número de sessões. O tratamento é progressivo e pode ser feito em todos os tipos de pele, inclusive nas morenas e nas bronzeadas. Somente uma parte da epiderme é retirada com este peeling. Leve e rápido é um dos métodos preferidos entre as mulheres. É realizado em consultórios e clínicas e não produz efeitos colaterais.

Após o procedimento é possível levar o restante do dia como de costume e nenhuma dor é causada. A esfoliação estimula a produção do colágeno, proteína chave para a boa elasticidade e para manutenção do tônus da pele. De forma geral não existem contraindicações, podendo ser aplicado tanto em homens quanto em mulheres.

Quando é indicado

É indicado no tratamento de estrias, podendo ser mais ou menos agressivo. Ajuda na regeneração da pele e na remoção de células mortas. Melhora a circulação local deixando a região mais nutrida.  É também indicado para o tratamento de “bolinhas dos braços”, ou queratose pilar.

Pode auxiliar na luta contra a flacidez e linhas de expressão. O peeling de diamante estimula a produção de colágeno e afina a pele. É, portanto, um método bastante indicado para pessoas que buscam o rejuvenescimento e realizar correções na pele.

Como é o procedimento

A abrasão e a esfoliação podem ser controladas. Dependendo da finalidade o procedimento é mais ou menos agressivo. Uma ponteira de diamante que fica conectada a um sistema a vácuo passa a ser deslizada sobre a pele da pessoa. Esta ponteira é comprimida contra regiões promovendo a esfoliação.

O método é praticamente indolor. Apenas uma leve compressão é sentida. Cada sessão leva em torno de 30 a 40 minutos, dependendo do local tratado e da finalidade. O peeling de diamante é rápido, leve e indolor. São necessárias em média de 5 a 10 sessões para que os resultados sejam satisfatórios.

Após o término o indivíduo está apto a continuar o dia como de costume. Não há necessidade de comparecer ao local acompanhado, já que não haverá qualquer forma de sedação ou de anestesia. O resultado tende a ser satisfatório, porém é preciso, mesmo depois de atingido o esperado, continuar com ao menos uma sessão todos os meses.

Riscos e efeitos colaterais

O peeling de diamante já é um método muito utilizado. Ele é um dos preferidos entre homens e mulheres devido ao caráter pouco agressivo e por não deixar efeitos colaterais.

Como em todos os procedimentos médicos os riscos não estão excluídos. Cada pessoa responde de uma forma aos métodos e a resposta varia de acordo com os organismos. É possível, por exemplo, que ocorram infecções ou sangramentos. Estas situações são, entretanto, bastante difíceis de acontecer.

Logo após o término da sessão a pele pode ficar um pouco vermelha. A vermelhidão tende a desaparecer após cerca de 24 horas. Já no dia seguinte nota-se um brilho e uma maior leveza na região. Não há descamação e nem dores após o processo. As machas são clareadas e as marcas amenizadas. De modo geral não existem contraindicações nem efeitos colaterais. Pode ser realizado em qualquer tipo de pele.

É indicado o uso de protetor solar e de cremes hidratantes após a sessão. Deve-se também evitar a exposição direta ao sol nos dias seguintes. Caso saia ao ar livre é recomendado o uso de chapéus ou de sombrinhas.

Peeling Ultrassônico

Peeling Ultrassônico

O Peeling Ultrassônico consiste de um sistema tecnológico para renovar a aparência da pele, a partir da eliminação das camadas cutâneas superficiais. O método, que usa o ultrassom para tratar o tecido cutâneo, serve de estímulo para elasticidade, textura e luminosidade da pele. Percebe-se também outros efeitos, como o aumento da circulação sanguínea, reforçando o metabolismo e a hidratação, e ainda a melhora da tonicidade dérmica e diminuição do excesso de oleosidade.

Ao contrário dos peelings químicos, não provoca descamação e nem deixa a pele com aquele aspecto avermelhado, sendo menos invasivo e dando mais conforto ao paciente.

A ação do Peeling Ultrassônico ocorre através de uma esfoliação mecânica promovida por uma espátula, associada a micro vibrações que nebuliza o produto de limpeza. A rapidez de vibração realizada em um espaço curto de deslizamento consegue o efeito de aerosolização, ou seja, emulsão das células mortas e impurezas da pele, deixando-a limpa e mais fina, regularizando a superfície cutânea que ganha mais uniformidade e textura suave, acelerando a renovação celular e a produção de colágeno e elastina.

A micro vibração proporciona uma micro massagem cutânea, pode elevar ligeiramente a temperatura, na qual são atingidos efeitos sedantes das terminações nervosas e melhora da circulação sanguínea periférica.

É uma excelente opção terapêutica para manter a pele bem tratada, tendo resultados surpreendentes em peles maduras, acneicas, sensíveis ou que estejam ressecadas e sem viço.

Os efeitos fisiológicos do Peeling Ultrassônico a nível da epiderme e derme são:

Remoção das células da camada córnea

Reequilíbrio nas trocas entre as camadas epidérmicas, gerando a renovação do tecido cutâneo

Melhora da oxigenação tecidual

Ativação da produção de colágeno e elastina

Redução do excesso de pigmento, causando a diminuição gradual das manchas

Efeito sedante das terminações nervosas, pelo ligeiro aumento de temperatura e micro massagem tecidual

Limpeza de Pele

Limpeza de Pele

A limpeza de pele é um procedimento estético, realizado em consultórios ou clínicas de estética, que tem como objetivo remover cravos e impurezas da pele. A limpeza de pele também remove o milium, que são pequenos cistos salientes causados pelo acúmulo de óleo nos poros.

A limpeza de pele é indicada, principalmente, para remoção de cravos abertos (pontos pretos) ou fechados (pontos brancos) e remoção de miliuns. Serve também para remover as células mortas e manter a pele macia e saudável. Todos os tipos de pele recebem muito bem esse procedimento. A limpeza bem realizada ajuda no equilíbrio das peles seca, normal, oleosa e mista. Além do rosto, é possível realizar o procedimento em qualquer outra parte do corpo, como colo e costas.

Como é feita a limpeza de pele ?

A grande maioria das limpezas de pele segue um passo a passo com etapas bem definidas, que vão desde a higienização da pele até a aplicação do filtro solar. Em geral, a pessoa irá deita-se em uma maca para realizar a limpeza de pele. A sessão dura, em média, uma hora. Conheça todas as etapas do procedimento:

 

Assepsia: a pele é higienizada com loções de limpeza desengordurantes, cuja ação varia de acordo com o tipo de pele. O objetivo é remover maquiagem, cosméticos e até mesmo as impurezas decorrentes da poluição e a oleosidade da pele.

Esfoliação: é feita a aplicação de produtos específicos com efeito abrasivo para promover um afinamento da camada córnea, a camada mais superficial da pele, facilitando a extração de cravos e acnes que não estejam inflamadas.”A microesfoliação da pele do rosto, pescoço e colo é feita de forma delicada, com movimentos suaves e circulares”, explica a Fisioterapeuta Luceli Brito.

– Extração: Essa é a etapa mais longa da limpeza de pele, e pode durar 30 minutos ou mais, dependendo do estado da pele. Em seguida da esfoliação, é aplicado na pele um creme emoliente e por cima é colocada uma toalhinha úmida juntamente com a máscara térmica, que tem como finalidade abrir os poros e dar emoliência para a pele, facilitando a retirada, sempre manual e cuidadosa dos cravos, espinhas e dos miliuns. O tempo de exposição a máscara térmica vai depender do tipo de pele a ser tratada. Para a emoliência também pode se utilizar o vapor de ozônio, para este o tempo máximo é de 5 minutos, isso porque, apesar do ozônio ser um gás de excelente efeito bactericida e fungicida, seu excesso pode provocar efeitos tóxicos quando inalado por um tempo prolongado, principalmente em gestantes.
A retirada de cravos e miliuns, deve utilizar técnicas corretas de manipulação.
Os cravos são espremidos com os dedos, mas o profissional nunca aperta a pele diretamente, sempre usa uma gaze médica para fazer a extração. Isso evita machucar a pele e também ajuda a reduzir a dor. Já os miliuns são removidos com a ajuda de uma microagulha, porque é necessário romper a pele que recobre o cisto para expelir a bolinha de sebo do seu interior. Pode se utilizar também uma ferramenta chamada cureta. A cureta nos possibilita retirar aqueles cravos mais secos e profundos sem danificar a pele. Durante a limpeza de pele, é recomendado sim extrair espinhas desde de que seja feita delicadamente e devagar para não gerar uma cicatriz e uma inflamação maior. Após a extração, é utilizado um aparelho de alta frequência para cicatrizar, atuar como anti-inflamatório sobre os pontos da pele que sofreram microlesões e fechar os poros dilatados durante o procedimento.

Acalmar a pele: nessa fase será utilizado máscaras com substâncias hidratantes e calmantes a base de azuleno e mentol. Para a diminuição da vermelhidão, comum logo após a limpeza, também podem ser aplicadas compressas com loções calmantes e águas termais.

Máscaras: é o procedimento de finalização da limpeza de pele e dura de 10 minutos a 20 minutos. A escolha do tipo de máscara depende do tipo de pele.

Filtro solar: a aplicação do protetor solar faz parte da última etapa da limpeza de pele. É aplicado em forma de gel ou loção para não obstruir os poros, sempre com fator de proteção igual ou superior a 30 para garantir que a pele está sendo protegida dos efeitos nocivos dos raios solares, como manchas. Como após a limpeza, a pele estará sensível isso também evitará queimaduras.

Periodicidade da limpeza de pele

O tempo entre uma limpeza e outra vai depender muito do tipo de pele de cada paciente. Peles normais à secas podem repetir a limpeza a cada dois meses. Já a pele mista a oleosa e com presença de cravos exige um cuidado maior, o ideal é fazer uma limpeza de pele por mês e utilizar produtos cosméticos adequados para cada caso. Indivíduos com um grau de acne muito intenso, devem sempre ter a orientação de um dermatologista para um melhor resultado.

Contraindicações da limpeza de pele

Não é recomendado fazer a limpeza em pele bronzeada. Após a exposição prolongada ao sol, a melanina (substância responsável pelo escurecimento da pele) está em plena atividade. Portanto, o contato com alguma substância mais agressiva pode provocar o aparecimento de manchas que vão ficar ainda mais evidentes quando o bronzeado sumir. Cosméticos que tenham ácidos na composição também estão proibidos nesse período. A pele está sensível demais e eles podem causar manchas.

Cuidados após a limpeza de pele

A pele demora cerca de 48 horas para se recuperar após a limpeza de pele. Alguns cuidados devem ser tomados nesse período e também após.

Todos os procedimentos da limpeza, em especial a extração dos cravos, sensibilizam e irritam a pele. A extração de milium pode inclusive formar casquinhas, porque a pele sofrerá microcortes.

Está indicado o uso de produtos com propriedades calmantes, como a água termal, e cicatrizantes nos primeiros dois dias após o procedimento. A maquiagem também pode ser utilizada nesse período.

Os cuidados diários são essenciais para uma pele bonita e para uma boa manutenção dos resultados da limpeza. “O kit básico de cuidados é composto por um bom gel de limpeza, um tônico e hidratante diurno e noturno para prevenir o envelhecimento”, recomenda a fisioterapeuta Dra Luceli Brito. “É interessante utilizar um esfoliante uma a duas vezes por semana para renovar a pele”. Mas atenção: o uso de esfoliante está liberado apenas após sete dias da limpeza de pele.

O ideal é ficar 48 horas sem se expor ao sol. Além disso, aplicar filtro solar com, no mínimo, FPS 30, é essencial.

O uso de ácidos deve ser evitado logo após a limpeza de pele se a pessoa tiver a pele muito sensível e vermelha, para que a irritação não piore. A mesma recomendação vale para os cremes oleosos, que podem obstruir os poros.

 

Profissionais que podem realizar a limpeza de pele

Na limpeza da pele com acne, a técnica, o cuidado e a habilidade do esteticista devem ser redobrados e a parceria com o dermatologista é de extrema importância para o êxito do tratamento. “Para efetuar esse procedimento o médico deve conhecer a anatomia e a fisiologia da pele, fazer uma avaliação detalhada para estabelecer o tipo de pele e sua adequação aos cosméticos e princípios ativos a serem utilizados”, explica Dra Luceli Brito. Quanto ao esteticista, é de extrema importância dominar a técnica de extração e reconhecer o que pode e o que deve ser manipulado em relação às lesões da pele e como aplicar os cosméticos. Estabelecidas essas condições, pode-se trabalhar a pele do paciente com a segurança necessária, acabando com o mito de que a limpeza estraga a pele e provoca cicatrizes.

Perguntas frequentes

Todo mundo deve fazer limpeza de pele?

Sim, mesmo aquelas pessoas com a pele bem inflamada devem fazer, pois a limpeza de pele não precisa obrigatoriamente ter extração, pode se fazer apenas a higienização e tentar extração em áreas menos inflamadas, esse procedimento é importante para o controle da inflamação e da produção de sebo.
Grávidas podem fazer limpeza de pele?

A não ser que a futura mamãe já tenha o hábito incluído no cotidiano, melhor evitar. Mas a explicação para isso tem fundo emocional: os médicos preferem proteger a paciente de qualquer tratamento que possa causar dores ou estresse.

É possível prevenir cravos?

Evitar os pontinhos pretos que insistem em marcar seu rosto é praticamente impossível, afinal não dá para frear a oleosidade natural da pele e, menos ainda, protegê-lo da poluição, os dois fatores que desencadeiam o surgimentos dos cravos. Mas não é por isso que você precisa passar o tempo todo com o rosto prejudicado. Alguns cuidados caseiros são suficientes para remover os pontinhos ainda que, a longo prazo, não substituam uma limpeza de pele. Tônicos e produtos adstringentes oferecem ótimos resultados, assim como sabonetes de ação profunda. Só tome cuidado para não usar produtos inadequados para o seu tipo de pele. Eles podem ressecar demais o rosto, levando o organismo a produzir ainda mais sebo e, consequentemente, favorecendo o aparecimento dos cravos e até de espinhas. No caso das mulheres, dormir maquiada também é fatal: os cosméticos entopem os poros, e o rosto rapidamente enche-se de pontos pretos.

Peeling ou limpeza de pele?

O peeling é um procedimento que pode ser utilizado para o tratamento de acne e controle da oleosidade da pele, mas é completamente diferente da limpeza de pele. O peeling químico consiste na aplicação tópica de determinadas substâncias químicas capazes de provocar reações que vão desde uma leve descamação até remoção da pele em diferentes graus. Isso significa que haverá descamação e troca da pele. Nestes procedimentos, podem ser utilizados diversos tipos de ácidos de acordo com o resultado que se deseja obter e com a profundidade que se deseja atingir.