Carboxiterapia

Carboxiterapia

A Carboxiterapia é um tratamento estético realizado através da infusão de gás carbônico em diferentes camadas da pele. O método é usado desde 1777 para tratamentos da pele e, desde as primeiras observações científicas, mostrou eficácia em regeneração dos tecidos e melhora da circulação sanguínea

Como é feita a Carboxiterapia?

A Carboxiterapia é feita com o uso de um aparelho acoplado a um cilindro de gás carbônico medicinal (CO2). Este equipamento regula a vazão do gás (que pode atingir, no máximo, 80ml de gás por minuto) para uma agulha de calibre mínimo. Este mesmo equipamento filtra e aquece o CO2.  A profundidade da aplicação da agulha varia em cada caso. Para tratamento de celulite e gordura localizada a agulha é inserida entre a pele e a gordura, já no tratamento da estria, o gás carbônico é aplicado dentro da cicatriz, ou seja, mais superficialmente.

Para quê serve a Carboxiterapia?

O gás carbônico atua dilatando os vasos sanguíneos e estimulando o metabolismo da área tratada, promovendo melhor irrigação de sangue nos tecidos e, consequentemente, melhor oxigenação da região tratada. O gás carbônico atua também no rompimento de fibroses do tecido subcutâneo. Alguns estudos mostram o favorecimento de formação de colágeno e elastina e efeito lipolítico (quebra das células de gordura) decorrente da Carboxiterapia.

Para quais casos está indicada a Carboxiterapia?

“Principalmente para o tratamento da celulite, pois o desenvolvimento da celulite passa por três fatores: edema, gordura e fibrose – a Carboxiterapia é o único tratamento que atua nesses três níveis”, explica a Fisioterapeuta Dermatofuncional Dra Luceli Brito. O edema é resolvido pela dilatação dos vasos e otimização da circulação, a fibrose é rompida pela injeção de gás, e a gordura mais facilmente queimada pelo aumento do metabolismo que ocorre no local. “É o tratamento mais completo em comparação com outros.

No caso da estria, o gás carbônico atua distendendo o tecido desta cicatriz – a elevação visível durante o tratamento. O descolamento preenche essa região de gás carbônico e estimula a formação de e elastina no local. Dra Luceli Brito conta que os benefícios são muito mais visíveis para estrias avermelhadas e aroxeadas. Outros tipos de cicatrizes também podem ser tratadas como é o caso da cicatriz de acne, má cicatrização de pós operatório, cicatriz atrófica e a cicatriz de queimadura.

Da mesma maneira a Carboxiterapia atua no tratamento de cicatrizes e no tratamento de fibroses decorrentes de cirurgias plásticas, como a lipoaspiração, por exemplo. “O gás carbônico rompe a fibrose e ameniza irregularidades”, explica.

No caso das olheiras, a Carboxiterapia estimula a melhora da circulação e formação de novos vasos sanguíneos que amenizam a aparência escurecida. Para a flacidez da pele, o benefício está na formação de colágeno e elastina.

Segundo a fisioterapeuta Dermatofuncional Luceli Brito, os resultados da Carboxiterapia no tratamento da gordura localizada são bem visíveis apartir da 10 sessão. Além de melhorar a circulação e a queima de gordura no local, a Carboxiterapia, segundo estudos publicados no ano de 2001 no periódico Aesthetic Plastic Surgery, promove a quebra das células de gordura a partir da estimulação de seus receptores beta adrenérgicos.

Profissionais que podem aplicar a Carboxiterapia

Por se tratar de um procedimento invasivo e que perfura a pele e com alto risco de infecção através da injeção, a Carboxiterapia pode ser realizada por médicos, Fisioterapeutas Dermatofuncional e Biomedico. O profissional deve ser especializado em estética.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.